segunda-feira, 21 de maio de 2018

Segundo pesquisa, brasileiros se interessam mais pela Lava Jato do que Copa do Mundo


A Operação Lava Jato desperta mais interesse nos brasileiros do que na Copa do Mundo da Rússia neste momento. De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Paraná, 77,7% dos entrevistados disseram que o tema do momento é a investigação contra corrupção, enquanto 10,6% apontaram se interessar mais pelo maior torneio de futebol entre seleções, que começará no próximo dia 14. A pesquisa foi feita entre os dias 16 e 19 de maio deste ano a partir de um questionário online, encaminhado para os contatos cadastrados do Grupo Paraná Pesquisas por mensagens eletrônicas. Foram entrevistados 2.170 brasileiros distribuídos em 185 municípios de 26 estados mais o Distrito Federal, com idades a partir dos 16 anos. 

Curso de Fisioterapia da FMT realiza feira de Neurociências no Colégio Fênix

Os alunos do curso de Fisioterapia, da Faculdade Madre Thaís (FMT), sob a orientação da Fisioterapeuta e Docente de Neurociências, Gracielle Santos, levaram a Feira de Neurociências aos estudantes do Colégio Fênix, em Ilhéus. A feira é realizada pelo Projeto de extensão “FMT nas Escolas”. 
De forma lúdica, os discentes interagiram com os estudantes do ensino Fundamental e Médio do Colégio Fênix, através de maquetes, banners, e dinâmicas em grupo que abordaram a anatomofisiologia do sistema nervoso central e periférico correlacionando com as principais doenças. 

sábado, 19 de maio de 2018

José Nazal: “Deixei a Seplandes por ver coisas que eu considero erradas”

“sobretudo, governar sozinho ou com um ou dois” afirma

O vice-prefeito José Nazal que pediu exoneração da secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável (Seplandes), no final do mês passado e expôs uma crise interna e visível, porém desmentida constante pelos personagens envolvidos.
Mesmo diante dos fatos, Nazal, Por uma questão de ética pessoal, preferiu só falar depois de publicado o Decreto de Exoneração, o que ocorreu sexta-feira passada. Procurado o vice-prefeito não se recusou e concedeu a entrevista.
DI - O senhor pediu para ser exonerado da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável. Porque?
José Nazal - Eu diria alguns motivos, mas se puder dizer um só eu diria que é o foco do governo que saiu dos interesses do povo de Ilhéus. 
É preciso fazer uma retrospectiva da História. No dia 30 de abril eu protocolei no gabinete o pedido formal de exoneração e uma carta pessoal ao Prefeito Mario Alexandre, que estava fora da cidade, expondo todos os meus pontos de vista, uma critica inclusive como autocrítica, não estou me colocando melhor do que ninguém. 
Comecei lembrando que no período de pré-campanha eu fui convidado algumas vezes para fazer uma aliança com ele (Mário Alexandre) e sempre rechacei porque havia um bolo muito grande partidos e eu estava discutindo com um numero menor de partidos. Eu achava que uma envolvendo um grande numero de partidos de diferentes ideologias e princípios até ganharia (a eleição), mas não governava atendendo as demandas que o município precisa.
Na véspera das convenções, no inicio de agosto, eu sentei com Mario (Alexandre), num sábado (de 30 de julho), eu acompanhado por Gusmão e ele com Renilson e depois chegou Marcos (irmão de Mário), conversamos e Mário perguntou qual era a minha proposta se agente fizesse uma aliança eu sendo o vice. Respondi que a minha proposta era governar por Ilhéus para Ilhéus. Saindo da linha eu gritava. Foi o termo que usei.
No dia seguinte nos encontramos mais uma vez para fechar a aliança com outras pessoas que pudessem nos acompanhar. Grupo com os quais eu tinha uma relação mais próxima e que não foi possível, Mario me disse: que tinha dormido aquela noite, há mais de 15 dias não estava dormindo. Todo mundo que queria fazer aliança com ele pedia para dividir o governo no meio, queria 50% dos cargos. “Mas você (referindo a Nazal) não me pediu nada. Eu lembrei isso a ele quando conversamos.
Todas as indicações que fiz foram de critério técnico e não político. É claro que é preciso alinhar a política a competência técnica. 
Na convenção do PSD, ao lado do senador Otto Alencar, eu repeti no meu discurso que a aliança foi feita por Ilhéus e fora disso eu gritaria, não aceitaria. Atualmente, no governo, eu estou vendo interesses sendo levados como prioridade, que não são interesses de Ilhéus. No governo tem pessoas que não têm compromisso com a cidade. Não são daqui e depois vão embora. A gente vê a história se repetindo, isso já aconteceu noutros governos.
Por ver alguns interesses não serem atendidos com relação a cidade, por ver por ver coisas que eu considero erradas, sobretudo você governar sozinho ou com um ou dois só. Eu entendo governo com uma coisa plural no qual se vê a discussão ser estabelecidas, quando você ouve opiniões de todas as formas as quais proporcionem possibilidades de acertar mais nas decisões.
Tem mais de oito meses que o governo não faz uma reunião de secretários. Hoje tem uma, para apresentar os novos secretários, fui convidado e avisei que não iria. Como o governo vem governando sozinho até agora com uma eminência parda ao lado, eu não vou.
DI - Quem é a eminência parda?
José Nazal - O prefeito é quem sabe.
Eu sei que o meu compromisso é com Ilhéus. Nos tínhamos todas as ferramentas para fazer um governo como a população que e precisa. Não posso ver o que estar errado e eu continuar fazendo errado. Tem contratos que eu não concordo, a maneira de adotar certas decisões. Por exemplo: houve uma licitação, que foi suspensa, que apresentava valores mais do dobro ao praticado na praça. Não existe justificativa para que se diga que aquilo estava certo. Na época o preço (do cimento) era r$ 23, e estava cotado por 50 reais. Se na cotação o preço estivesse 25, 30 reais a justificativa seria a demora no pagamento, atrasos etc., porém, ali estava mais do dobro.
DI - Com relação à Saúde?
José Nazal - É impensável admitir a falta de copinho para fazer exame de escarro na área de atendimento à tuberculose. Inadmissível pensar que falta insulina para atender aos diabéticos. É impensável admitir que venha um cara de fora para “botar os dentistas para trabalhar”. Dizendo que os dentistas daqui não trabalham e chegue pisando, passando por cima dos colegas. Nem eu nem o próprio Mário Alexandre trata ninguém mal. Eu perguntei se não tratamos as pessoas mal e porque que um cara, em nome da gente, trata todo mundo mal? E sem fazer o que se propôs a fazer.
No bairro Ilhéus II uma senhora me diz “tive que comprar, do meu bolso, por R$ 5,80 centavos uma bobina de papel para a marcação funcionar, porque a máquina não tinha bobina. É inadmissível que uma pessoa tenha me procurado para informar que tem uma filha que é atendida pelo sistema de TFD (Tratamento Fora de Domicílio), um programa com dinheiro do Governo Federal, ou seja, você não precisa pedir favor a prefeito, vereador deputado, a ninguém para ser atendido, bastar ter a documentação do SUS em dia. 
Essa pessoa, mãe de uma afilhada de batismo minha, foi pegar a passagem numa sexta, porque iria viajar, para Salvador com a filha, na segunda-feira e ao chegar ao guichê da Águia Branca não pode retirar a passagem porque a Prefeitura estava devendo. Isso foi em abril, a Prefeitura estava devendo quatro meses. Não foi por falta de dinheiro. Esse dinheiro não é do município, é rubricado, do Governo Federal, existe uma conta exclusiva. Por um erro ou incompetência não pagou. Não da para admitir uma coisa dessas!
Eu convidei Mario, algumas vezes e ele nunca aceitou o meu convite, para sairmos só nos dois. Eu ou ele dirigindo, sem segurança, sem jornalista, fotografo, sem avisar nada a ninguém. Neste dia entraríamos em postos de saúde, escolas, repartições, unidades administrativas, em locais do interior próximo. Isso de forma incerta para ver como está funcionando a administração. Ele nunca topou. Eu não engulo essas coisas. Eu não tenho dificuldade para dizer sim nem não.
DI - Você deixou a Secretaria com alguns projetos...
José Nazal – Eu tenho 41 anos de vida pública. Entrei na Prefeitura para ser oficial de gabinete no dia 1 de fevereiro de 1987 - minha carteira estava assinada mandei da baixa, dez anos depois, senão eu continuaria servidor público até hoje – então, nesses 41 anos eu não conheço quem entrou na prefeitura para trazer alguma coisa em favor do município. Todos anunciam que é em favor do município, mas quando você vai olhar sempre está beneficiando um grupo, uma pessoa.Às vezes tem um bem coletivo e esse merece o apoio.
Algumas coisas estão sendo feitas, espero que continuem. Existia uma queixa grande, que a Seplandes travava tudo. Travando o que estava errado. Se está errado porque eu tenho que liberar. Se falta uma certidão, se o projeto está incompleto, não tem a licença ambiental porque eu tenho que liberar. Andar correto é dever de todos.
DI - Durante a campanha vocês anunciaram que este seria um governo da seriedade e do cuidado. Mas parece que nem uma coisa nem outra?
José Nazal – Por mais que alguém reclame, eu tive em algo incomum. A manifestação do Ministério Público. A 11ª promotoria acompanhou o que a gente fez na tentativa de fazer com que a lei fosse cumprida, naquilo que é competência daquela promotoria. Fizemos a ação de limpeza no centro para retirar os outdoors. Não inventamos nada, cumprimos a lei. Não está a contento ainda. 
Esta sendo encaminhado um projeto para fazer um levantamento arbóreo da cidade, uma espécie de plano diretor para o planejamento de arborização da cidade, neste sentido está pronto e deverá ser assinado um convenio com a UFSBA. 
Estávamos realizado um trabalho de recuperação de recursos praticamente perdidos, de compensação ambiental da Fiol e da Petrobrás para fazer o plano de manejo do Parque Boa Esperança, fazer a delimitação e fechamento da área, construção de guarita e área de conforto para o guarda-parque, um espaço para convivência para, a partir do plano de manejo, receber visitas guiadas e acompanhadas. A cidade precisa saber a riqueza que tem. Tivemos o cuidado de arrumar as questões ambientais principalmente com relação as festas.
DI - Com relação ao Fundo Municipal de meio ambiente?
José Nazal - O Fundo Municipal de Meio Ambiente, deixamos com mais e 150 mil reais em caixa. Até a gestão passada, todo dinheiro oriundo dos custos das licenças ambientais caia no caixa comum da Prefeitura e desaparecia. Agora vai todo para o Fundo do Meio Ambiente. Estávamos trabalhando um projeto de Pagamento de Serviços Ambientais para, com esses recursos, tentar recuperar a bacia do Iguape, que é um problema muito sério que o município enfrenta. Esses problemas não se discutia. Precisamos rever Plano Diretor. O Plano de Saneamento que não foi cumprido na data e Governo Federal deu mais dois anos de prazo. Já se passaram cinco meses e nada foi feito e eu estava cobrando isso desde o primeiro dia de governo.
DI - Quais as condições de trabalho, atualmente?
José Nazal – As pessoas têm condições zero de trabalho. O ambiente de trabalho das pessoas (da Prefeitura) é uma ambiente insalubre inclusive. Sem cadeira. Uma pessoa chegou a um setor e doou seis cadeiras de presente. Não foi a troco de favores. Deu porque quis dá. Computador descente, a Prefeita tem apenas um com Software oficial, os outros todos não são. Essas coisas precisam ser encaradas. Mas, há uma grande omissão por parte da sociedade.
DI - Porque você diz que a sociedade é omissa?
José Nazal - Falta a participação em tudo. Conselhos, eventos, conferencias etc. Vai ter uma audiência publica agora, no dia 30, que o governo vai fazer sobre o Aeroporto Jorge Amado, em Salvador. Está errado fazer em Salvador, mas ninguém reclamou, só eu. Porque em Salvador se o interesse é aqui? Quem vai daqui para Salvador? Que fosse feita uma em Salvador, mas também aqui. Mas quem reclamou disso? Depois aparece uma empresa qualquer para administrar o aeroporto, aí todo mundo começa a gritar. Mas foi questionado antes?
DI -Mas o chamamento, a divulgação de audiências desse porte não deveria está sendo divulgado pelo Governo Municipal?
José Nazal - O aeroporto é um problema sério em Ilhéus. A gente pensa no aeroporto a questão do Polo de Informática que foi prejudicado, dos vôos que foram retirados, a pista que foi diminuída. Hoje a passagem aérea em Ilhéus é das mais caras do Brasil. O aeroporto tem uma normativa que impede a cidade de construir. Está emperrando a construção civil na cidade e ninguém faz nada. É uma gincana da Infraero com o Comando da Aeronáutica (COMAER). Agora enviaram uma carta com 175 pontos que tem que ser eliminados. Se você tira os 175 eles arranjam mais 200. Isso é uma decisão de força política.
DI - Não caberia ao Governo do Estado defender os interesses da Bahia?
José Nazal - Espero que agora, já que o Estado da Bahia vai assumir o aeroporto, se preocupe com isso. Em minha opinião o ideal seria ter o aeroporto no Sítio Joia do Atlântico que era o projeto pensado em 1994 cuja a área foi decretada de utilidade pública e depois revogado o decreto. Esse é o sítio ideal, ainda dá tempo. Tem uma invasão no local que está começando. O sítio Ceplac/Uesc, que foi proposto, com base numa nota técnica da Infraero, não tem condições.
DI -O Senhor fala sobre esse descarrilhamento do governo, mas continua representando esse governo. Pelo menos as fotos distribuídas pela Secretaria de Comunicação demonstram isso. Por quê?
José Nazal - Não.
Vice prefeito eu sou. Eu continuo vice prefeito de Ilhéus. É uma outorga que me foi data pelo povo. Se eu morrer ou se a justiça entender que fiz algumas coisa errada e cassa o mandato eletivo. Fora isso vou continuar até quando Deus permitir. Fui convidado para um evento na Justiça Federal pela Promotoria da Infância. Fui chamado para mesa como Vice prefeito, porque sou Vice. O representante do Prefeito estava presente, mas por deferência abriu mão da representatividade. Na audiência da Embasa eu fui convidado pelo vereador Makrize, como vice prefeito, isso foi dito por mim no inicio da audiência. Fui chamado para fazer uma palestra no Rotary há cerca de 40 dias, expliquei que não sou mais Secretario, me disseram que a palestra era pelo Vice Prefeito. Não represento o Prefeito, tenho minha representatividade institucional.
Diário de Ilhéus - Quando o senhor se anuncia vice prefeito, não está assumindo a sua participação, co-responsabilidade no governo que segundo o senhor, não está correspondendo aos anseios da sociedade. Um, exemplo é o Posto de saúde Sarah, foi derrubado no inicio deste governo e continua no chão?
José Nazal - Tem outras coisas. A Escola da Tibina está sem telhado desde o governo passado. A Secretaria de Educação mandou uma lista para recuperação de escolas municipais e a escola da Tibina era a prioridade número 1. Não sei quem nem porque, resolveu não obedecer a lista e a obra nãofoi feita. Em Banco do Pedro o posto de saúde foi inaugurado no dia 16 de dezembro de 2016. Um dos últimos atos do governo de Jabes Ribeiro. Está sem água, sem energia elétrica e sem funcionar até hoje. Carobeira tem um posto médico na mesma situação. Foi divulgada uma matéria pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura dizendo que há cinco anos, desde o governo de Newton Lima, não vai médico em Banco Central. A agente de saúde de lá garante que até dezembro de 2012 funcionou. Quem coordenava esse posto era Orlins. Em Castelo Novo, um agente de saúde me mostrou que passaram quatro anos de Jabes e mais um ano de deste governo e não vem um médico nem uma enfermeira. Essa situação se repete por toda cidade.
DI - O senhor lançou uma candidatura que representava o novo para Ilhéus, mas não se concretizou com a aliança com Mario Alexandre. Esse é um governo que atualmente não consegue fazer o básico, a limpeza das ruas, fazer um posto de saúde funcionar, não há ordem no transito, no sistema de transporte urbano. O que o senhor pretende para o seu futuro político?
José Nazal - Eu não vou deixar de fazer política. Essa é a primeira vez que sair candidato a cargo do executivo. Fui candidato a vereador em 1988, pelo PMN, fiquei na segunda suplência. Vou continuar andando pela cidade. Ouvindo as pessoas, estudando a cidade. Pretendo ouvir as pessoas, visitar o interior. Eu não vou ao interior só em dia de festa. Tenho ido constantemente.
DI - – Qual a sua maior preocupação agora?
José Nazal - Uma coisa está me preocupando muito. Estamos tendo uma questão com o IBGE que a cada ano reduz o numero de habitantes de Ilhéus. Eu não aceito. Tenho tido fortes embates com os técnicos do IBGE. Estamos vendo a cidade crescer. Eu faço voos constantes sobre toda área territorial do município, conheço relativamente bem. Não posso aceitar isso. Estou fazendo uma revisão, com o IBGE. Preparação para o próximo censo que no próximo ano fecha a base territorial e eu estou acompanhando. Vou fazer com atenção, porque agora vou ter mais tempo. Com estão as estradas vicinais?
A situação das estradas rurais é hororosa. Não dá para admitir Ilhéus ter uma extensão territorial como tem 1584 Kms de território, mais de 1200 km de estradas vicinais e ter uma patrulha para atender. Isso é ipossivel. O equipamento está em Japu começou a fazer a estrada, antes de concluir tiram e mandam para outro lugar. Tem um pessoal na borda de Uruçuca, que é Rio do Braço e Banco do Pedro estão querendo que a Prefeitura de Uruçuca vai fazer a estrada. Eu estou dando a teste para que isso não aconteça. Quem tem que fazer é Ilhéus
DI - A Prefeitura de Uruçuca tem avançado muito no território de Ilhéus, por omissão e incompetência da Prefeitura de Ilhéus, não acha?
José Nazal - A Prefeitura de Uruçuca construiu uma escola dentro de Banco Central, em Lajedão, isso há poucos dias. Falei com o Prefeito, mas até ontem não havia sido tomada nenhuma providência. A prefeitura de Ilhéus precisa trocar os professores ou derrubar a escola e construir outra. Como pode admitir isso? Quando for feita a revisão territorial Ilhéus volta a perder.
DI - Essa é a questão do limite com Itabuna, no Macro e Atacadão. A prefeitura não está dando nenhuma atenção...
José Nazal – Alí a situação muda porque quando ocorreu aquela disputa territorial, não havia gente morando no local, era interesse apenas economico. Agora existem condomínios e o Cidadelle passou a ser um bairro. Quem mora ali é de Ilhéus? quantos moradores de Ilhéus moram alí? Trabalham em Itabuna, a um km de onde moram, em Ilhéus. A Universidade Federal do Sul da Bahia está sendo construída dentro de Ilhéus. Isso é um mote para depois quererem que essas áreas sejam transferidas para Itabuna. Enquanto que for vivo vou brigar.
DI -- O que o governo atual está fazendo para enfrentar essa situação. Para despertar o sentimento de pertencimento nas pessoas que moram em Ilhéus?
Jose Nazal - Nada.
Nem o governo tem esse sentimento. 
Você sabe quantos alunos a gente perde para Uruçuca? Você sabe quantos eleitores a gente perde para Uruçuca? Você tem noção? Nem a Prefeitura de Ilhéus tem noção. Cada aluno cadastrado no censo de Uruçuca são recursos que vão para Uruçuca, deixa de vir para Ilhéus e a pessoa mora em Ilhéus. Tem uma escola de Uruçuca dentro de Castelo Novo, na fazenda Hawai. Tem uma escola de Uruçuna na Cepel, Tem uma escola de Uruçuca na fazenda Theodolinda. Estou reclamando isso desde o primeiro dia do governo ninguém dá atenção.
DI - Diante do que o senhor nos apresenta, o senhor vai continuar ou vai romper definitivamente com o governo?
José Nazal - Eu não vou me meter no governo. Eu não fui ouvido. Eu disse a Mario e aos secretários que tem o comando do governo, que eu não posso aceitar decisões que sejam tomadas sem me ouvirem e sem eu concordar. Se for uma decisão urgente e necessária, acertada, claro que terá o meu apoio. Não sendo porque vou apoiar? 
Então eu não vou me meter no governo. Para mim rompimento não é xingamento, inimizade essa não é a minha linha. Não estou disputando poder com ninguém. Apenas eu sou o vice prefeito. 
Desejo que o povo de Ilhéus ajude. Reconheço que sozinho o governo não pode fazer muito. Tem coisa que precisa ajuda
Tem uma coisa que eu vou lhe dizer, eu disse ao Prefeito. Ele está despachando mais em sua casa do que na Prefeitura, no gabinete. O gabinete é o lugar para despachar. É preciso atender as pessoas e não deve mudar o gabinete para sua casa. O gabinete é publico. Até para dizer não. Não deve correr para não dizer não.

MPF: deputados estaduais Carlos Ubaldino e Ângela Sousa, ex-prefeito de Ruy Barbosa José Bonifácio e mais oito têm até R$ 12 mi bloqueados por fraude a licitação e desvio de verbas na Bahia

Carlos Ubaldino e Ângela Souza
Além da ação de improbidade, que resultou no bloqueio dos valores, o MPF denunciou dez pessoas por crimes de fraude a licitações, de corrupção e de desvio de recursos públicos em Buerarema (BA)
A pedido do Ministério Público Federal (MPF) Polo Ilhéus/Itabuna (BA), a Justiça Federal determinou, em janeiro e abril deste ano, o bloqueio de bens até o valor de R$ 12.393.546,00 de doze réus, entre eles particulares, dois deputados estaduais, dois ex-prefeitos e outros agentes públicos envolvidos em fraude a licitações e desvio de recursos no município de Buerarema (BA) a 450 km de Salvador.

Um porto minado pela corrupção

Jaques Wagner -  
(ISTOÉ - Ary Filgueira e Tábata ViapianaObra de complexo portuário em Ilhéus, iniciada por Jaques Wagner, agora é contestada pela mais alta corte inglesa, que quer saber como, em um único dia, o petista conseguiu reverter uma proibição do Ibama. Há fortes indícios de pagamento de propina 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Alunos de Gastronomia da FMT recebem Cheff internacional

Professora Merice (azul) alunos e a delegação de Cabo Verde
Alunos do curso de Gastronomia da Faculdade Madre Thaís receberam a visita do Cheff Micau Tavares, de Cabo Verde. A visita foi proporcionada pela professora de História e Cultura da Gastronomia, da Faculdade, Merice Rocha 
Delegação de Cabo Verde e a profa. Merice Rocha
O cabo-verdiano Micau Tavares, é bastante conhecido em seu país e nos países lusifonos pela difusão do consumo da cavala, espécie abundante na costa africana, e outros pratos típicos de seu país. Ele esteve em Ilhéus participando do Street Festival, evento gastronômico internacional que ocorreu no bairro Malhado, no inicio deste mês, onde a professora Merice Rocha realizava um trabalho voluntário junto com o Cheff ilheense Ricco Araújo. 
Junto com profissionais da Itália, Grécia, Brasil o cabo-verdiano dividia experiências com a comunidade, em seu caso ensinando a fazer uma "Cachupa" (prato típico país africano). É nesse ambiente de troca de conhecimento que a professora entra em contato com os seus anos para agendar a visita do Cheff a FMT. 
Os discentes do primeiro e segundo semestre do curso de Gastronomia da FMT confeccionaram um típico café da manhã nordestino para irmãos africanos. Depois apresentaram cozinha da Faculdade, numa explosão de emoções sentimentos de partilha de conhecimentos de histórias e culturas com a delegação de Cabo Verde

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Espetáculo teatral gaúcho será apresentado em praça pública, no centro de Ilhéus




O espetáculo teatral gaúcho “Automákina, universo deslizante” terá uma apresentação única e gratuita, no dia 15 de junho, terça-feira, a partir das 19 horas, na Praça Dom Eduardo, no centro histórico de Ilhéus. Patrocinada pelo do Ministério da Cultura e Petrobrás, com apoio secretaria municipal da Cultura, a peça tem direção de Jackson Zambelli, com uma hora de duração, cujas montagem e desmontagem são desenvolvidas aos olhos da própria comunidade. A atuação é do ator Luciano Wieser.
Os produtores do espetáculo informam que o “Automákina, universo deslizante” apresenta um cenário móvel, resultado de pesquisa inovadora do grupo que propõe levar para a rua um aparato cênico impar em qualidade visual e sonora, uma máquina gigante medindo sete metros de comprimento por oito metros de altura, o que aumenta a sua dramaticidade. “São poucos grupos que pesquisam esta especificidade do teatro com maquinarias, o que resulta em processo rico de arte visual e de intervenção urbana, livre para todo o público”, afirmam.

FMT realiza o primeiro Festival Gastronômico

A comissão: Roberto Santana,
Renato Droguett e Bruno 
Susmaga. 

O primeiro Festival de Gastronomia da Faculdade Madre Thaís (FMT) foi realizado no dia 10. O evento aberto com a palestra “Empreendedorismo e incubadora de empresas”, apresentada pela professora e mestra Fernanda Amigo, no salão Gourmet, do curso. O Festival contou com uma extensa programação encerrada sábado.
Também foram realizados mini cursos Pate a choux: 1 massa, 4 sobremesas, ministrada pela professora Merice Rocha, na Cozinha Gourmet, na sexta-feira. No dia seguinte, no mesmo local, foi a vez da Professora Luciana Kruschewsky, aplicar o mini curso Brigadeiro Gourmet.
Ainda na programação, foi realizado o primeiro Concurso Gastronômico com alunos do primeiro e segundo semestre do curso de Gastronomia da FMT. Os estudantes foram divididos em quatro equipes com total liberdade par criar os seus pratos. Os resultados da criação foram apresentados e degustados pela comissão julgadora formada pelo jornalista Roberto Santana; pelo representante do Sebrae, Renato Droguett e pelo empresário Bruno Susmaga.
Equipe do primeiro semestre noturno formada pelos discentes Flávio, Samara, Isabela e Cleberson conquistou o primeiro lugar com direito a uma entrevista no programa “Tudo a ver”, da TVC.
De volta ao Salão Gourmet, os participantes acompanharam da palestra “A cultura da inovação: da ideia criativa ao resultado”, apresentada por Renato Queiroz. Durante o evento, convidados e alunos puderam trocar informações e estabelecer contato.
De acordo com a coordenadora do Curso na FMT, a mestra em Engenharia de Alimentos, Renata Sampaio Mafra de Santana, “essas atividades oferecem ao futuro Gastrólogo habilidades para, desde já, desenvolver competências gerenciais para elaborar projetos gastronômicos, planejar, organizar e programar eventos gastronômicos, gerenciar cozinhas e empresas de alimentação, além de dimensionar cardápios dentro dos padrões da etiqueta formal, reconhecendo a importância dos protocolos de higiene pessoal, ambiental e de utensílios na manipulação de alimentos”.

sábado, 12 de maio de 2018

Solenidade da Ascensão do Senhor

Aprendamos com o Senhor glorioso o significado do verdadeiro poder: é um amor que aprende a amar no seguimento do peregrino de Nazaré. Este amor-serviço é o caminho da glória. De forma especial, o serviço que nós, cristãos leigos e leigas, temos que enfrentar nos areópagos do trabalho, da família, da política, das relações sociais. Aí podemos encontrar a presença do Senhor ressuscitado e ouvir seus apelos. 
A reflexão é de Lúcia Pedrosa Pádua, teóloga leiga, professora de Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio. Ela graduou-se em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, FAJE, Belo Horizonte, e doutorou-se pela PUC-Rio. É bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Estudou no Centro Internacional de Estudos Teresianos e São Joanistas de Ávila (Espanha) e fez estudos de pós-doutorado na Pontifícia Universidade Gregoriana – PUG, em Roma, Itália. 
Referências bíblicas

quinta-feira, 10 de maio de 2018

PCdoB divulga nota com dura critica à gestão da saúde de Ilhéus

No dia 5 de outubro deste ano, o direito à saúde, calçado nos princípios de universalidade, equidade e integralidade completará 30 anos. Nas últimas três décadas muitos desafios foram enfrentados pelos entes federativos, como subfinanciamento, falta de política de valorização dos trabalhadores da saúde e principalmente a ampliação da resolutividade dos problemas enfrentados nos leitos de hospitais, clínicas, ambulatórios e centros de saúde.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Itabuna, Prado e Feira de Santana lideram fraudes no Seguro-Desemprego


As cidades de Itabuna, Prado e Feira de Santana encabeçam a lista com mais fraudes bloqueadas no Seguro-Desemprego. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (9) pelo Ministério do Trabalho (MT). Na Bahia, cinco cidades ultrapassaram a marca de R$ 1 milhão em fraudes. Além de Itabuna, Prado e Feira, passaram a marca de R$ 1 millhão Salvador e Ribeira do Pombal. 
Os dados foram coletados desde a entrada, em dezembro de 2016, da operação do sistema de Detecção e Prevenção à Fraude no Seguro-Desemprego (Antifraude) e foram fechados em abril passado. Em todo o estado, R$ 11,2 milhões foram desviados desde começo da coleta. Segundo o levantamento, Itabuna teve 261 fraudes bloqueadas, totalizando R$ 1,6 milhão. 
Feira de Santana, com 257 casos, com mais de R$ 1,5 milhão; Prado, com 261 requerimentos bloqueados, com quase R$ 1,39 milhão; Salvador, 240 fraudes bloqueadas atingiu R$ 1,35 milhão; e Ribeira do Pombal, com 208 bloqueios e mais de R$ 1 milhão. Todos os bloqueios na Bahia foram na modalidade Emprego Formal. Em todo o Brasil, o sistema Antifraude já proporcionou uma economia de quase R$ 1 bilhão aos cofres públicos até abril de 2018.

Piquenique literário do GACC terá sebo solidário

Participantes poderão trocar, doar e adquirir livros novos e usados
Durante o Piquenique literário que acontecerá neste sábado, 12 de maio, a partir das 8h, na Casa de Apoio, os participantes poderão adquirir livros usados, em excelente estado de conservação, com valores surpreendentes, ou ainda, comprar livros novos direto da Editora Mondrongo e destinar 50% do valor ao Grupo de Apoio à Criança com Câncer Sul Bahia.
Com o tema Texto sentido, o evento irá compartilhar não só com os pacientes e seus familiares, mas com toda a comunidade a importância da leitura, incentivando a imaginação e promovendo o papel da literatura na formação humana, intelectual e social dos indivíduos. Além disso, será o momento para homenagem às mães do GACC pela passagem do seu dia.
Integrando a programação terão oficinas de Haikais, Poesia, Xilogravura, Pintura poética, Vivência Teatral e stencil em camisas. Acontecerão também, apresentações musicais, contação de história e recital de poesia.
Aberto ao público, gratuito, o Piquenique Literário acontecerá na Casa de Apoio Clara Kauark (Rua Europa Unida, 76, Bairro São Judas – próximo a Praça do Vila Zara), a partir das 8h.

A mãe do céu

No próximo domingo, dia 13 de maio, celebraremos o dia das mães e de Nossa Senhora de Fátima, nossa Mãe do Céu. 
(D. Fernando Arêas Rifan - Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney http://domfernandorifan.blogspot.com.br/) - “Maria é a que sabe transformar, com uns poucos paninhos e uma montanha de ternura, uma gruta de animais numa casa de Jesus e é capaz também de fazer saltar um menino no seio de sua mãe, como escutamos no Evangelho; ela é capaz de dar-nos a alegria de Jesus. Ou seja, Maria é fundamentalmente Mãe... Sim! Maria é Mãe! Por quê? Porque te trouxe Jesus. Maria é Mãe, primeiro, não se pode conceber nenhum outro título de Maria que não seja ‘a Mãe’. Ela é Mãe porque gera Jesus e nos ajuda com a força do Espírito Santo a que Jesus nasça e cresça em nós. É aquela que continuamente nos está dando vida, é a Mãe da Igreja, é maternidade. Não temos direito, e se o fazemos estamos equivocados, a ter psicologia de órfãos, ou seja, o cristão não tem direito de ser órfão. Tem Mãe, temos Mãe” (Papa Francisco, audiência de 25/10/2014). 
Em Fátima, pequena cidade de Portugal, Nossa Senhora apareceu a três pastorinhos, neste dia. De lá, essa devoção se espalhou e chegou ao Brasil. São sempre atuais e dignas de recordação as suas palavras e seu ensinamento. Aquelas três simples crianças foram os portadores do “recado” da Mãe de Deus para seus filhos.

Inema não deverá conceder licença ambiental para ampliação do aeroporto internacional de Salvador (BA)

Segundo recomendação expedida pelo MPF, a construção de uma nova pista comprometerá significativamente a APA das lagoas e dunas do Abaeté
O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) emitiu, em 24 de abril, recomendação ao diretor geral do Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), em desfavor da construção de uma segunda pista de pouso e decolagem no Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Salvador (BA). O documento recomenda a não concessão, por parte do Instituto, de qualquer tipo de licença ambiental para o início das obras, além da notificação ao MPF sobre a abertura de qualquer processo administrativo referente ao assunto, tendo em vista que as obras afetariam gravemente a área de preservação das lagoas e dunas do Abaeté.

Laís Marques, Diego Schaun, KBSativa MC's e Márcia Góes e Sob Medida são atrações do Encontro de Compositores desta quinta (10)

O Encontro de Compositores do Litoral Sul chega à sua terceira mostra encantando o público com performances inéditas de músicas autorais de artistas de Ilhéus, Itabuna, Uruçuca e Camacã. O show acontece nesta quinta-feira (10), às 20h, no Teatro Municipal de Ilhéus. O ingresso é 1kg de alimento não perecível, que será doado para a Fundação Fé e Alegria - Ilhéus.
Os selecionados para se apresentar nesta mostra - Laís Marques, Diego Schaun, KBSativa MC's e Márcia Góes e Sob Medida - representam uma diversidade musical que é a cara do Sul da Bahia. Da MPB ao rap, passando pelo rock e o folk, os artistas prometem marcar a memória do público com suas letras, melodias e arranjos.
Nesta edição do projeto já se apresentaram, desde março, oito compositores, entre solos e bandas. “Eles atraíram desde fãs até pessoas que foram assistir aos shows para saber o que estava tocando no cenário musical atual. Tanto os artistas quanto toda a nossa equipe têm tido um ótimo feedback do público”, conta a produtora do evento, Eloah Monteiro.
O diretor musical, Cabeça Isidoro, lembra que cada performance tem sido um verdadeiro show. “Os compositores individuais têm à disposição uma banda contratada pelo evento para tocar suas próprias músicas. Já as bandas vêm trazendo o som que criam e executam de forma conjunta. São apresentações sempre com muita energia e brilho. Queremos promover o novo, e o Encontro de Compositores cumpre este papel”, comenta.
Oficinas de Composição Musical

Sexta-feira (11) abastecimento de água dos bairros atendidos pela ETA Centro, Ilhéus, será interrompido

A Embasa informa que, dando continuidade ao calendário de limpeza preventiva dos seus reservatórios de água tratada, fará a suspensão temporária do abastecimento de água para os bairros de Ilhéus atendidos pela Estação de Tratamento de Água (ETA) Centro (ver lista), nesta sexta-feira (11).
Os serviços serão iniciados às 08h e a previsão é de que o abastecimento seja retomado, de forma gradativa, a partir das 21h do mesmo dia. Os imóveis situados em logradouros mais elevados e distantes da rede distribuidora podem levar até 24 horas para ter o abastecimento de água plenamente regularizado.
Usuários que dispõem de reservatório compatível com suas necessidades diárias de consumo não sentirão os efeitos da interrupção. A Embasa lembra que o usuário também é responsável pela manutenção da qualidade da água distribuída pela empresa, devendo lavar o reservatório de seu imóvel a cada seis meses.
Bairros afetados| Alto Carvalho, Alto da Esperança, Alto do Amparo, Alto do Aureliano, Alto do Cacau, Alto do Coqueiro, Alto Legião, Alto S. Francisco, Av. Itabuna, Banco da Vitória, Basílio, Conquista, Esperança, Frei Vantuy, Malhado, Morada do Bosque, Morada do Porto, Pacheco, Princesa Isabel, Salobrinho/UESC, Tapera, Teotônio Vilela, Teresópolis, Vila Cachoeira, Vila Nazaré

segunda-feira, 7 de maio de 2018

NOTA PÚBLICA DA REDE SUSTENTABILIDADE – ELO MUNICIPAL DE ILHÉUS

Partido declara apoio a José Nazal e Emílio Gusmão  e reconhece a quebra de compromisso do Prefeito para com a sociedade de Ilhéus.
NOTA PÚBLICA DA REDE SUSTENTABILIDADE
ELO MUNICIPAL DE ILHÉUS
A Rede Sustentabilidade – Elo Municipal de Ilhéus – declara total apoio à decisão do vice-prefeito José Nazal e do comunicólogo Emílio Gusmão (mestre em conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável), que no dia 30 de abril entregaram suas cartas de exoneração das funções de Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável e de Superintendente de Meio Ambiente.
Após ouvir os seus dois filiados, em reunião realizada na última quinta-feira (3), a Rede compreendeu os motivos que os levaram a deixar os cargos. O partido manifesta satisfação por ter em seus quadros dois membros comprometidos com o bem-estar da população de Ilhéus.
A Rede enfatiza que mantém total confiança na sua principal liderança política em Ilhéus, o vice-prefeito José Nazal, homem público reconhecido pela população por sua honestidade e transparência com a coisa pública.
A Rede lembra que, na campanha eleitoral de 2016, os compromissos dos então candidatos Mário Alexandre e José Nazal tinham a sustentabilidade como um norte para o governo de Ilhéus. Agora, na gestão, a Rede lamenta que o alcaide ignore esse pacto com a sociedade.
A Rede Sustentabilidade manifesta orgulho pelo fato dos seus dois filiados terem sido honrados com uma nota pública da 11ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, que classificou a saída de Nazal e Gusmão da SEPLANDES como uma perda de difícil reparo para a sociedade ilheense.
A excepcionalidade desse tipo de manifestação por parte de um Promotor de Justiça prova que os dois filiados da Rede Sustentabilidade que integravam o governo são pessoas comprometidas com Ilhéus e sua população. Por isso, a Rede sente-se enaltecida por ter nesses dois membros exemplos de comprometimento com a Carta de Princípios do partido e com as necessidades da sociedade ilheense.
Por fim, os pedidos de exoneração não significam renúncia ao compromisso com nossa cidade, pois a Rede Sustentabilidade continuará atenta e lutando por uma Ilhéus sustentável em suas dimensões ambiental, econômica, ética, social e cultural.
Ilhéus – BA, 07 de maio de 2018.
Juliana Santos Rocha e Eustacio Lopes de Oliveira Filho.
Porta-vozes da Rede Sustentabilidade – Elo Municipal de Ilhéus.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Além de inovador e pioneiro Curso da FMT atende exigência do setor

Diretor Geral da FMT, Dr. Eusínio Lavigne Gesteira
no lançamento do Curso
Diretor da  Mantenedora da FMT Isidoro Gesteira durante
a solenidade de lançamento do Curso Superior de
 Tecnologia em Produção de Cacau e Chocolate
O Curso Superior de Tecnologia em Produção de Cacau e Chocolate lançado pela Faculdade Madre Thais (FMT), no dia 26 de abril e incluído no Vestibular 2018.2, é um marco na formação de profissionais. É o primeiro e único curso de graduação no Brasil para atender o mercado de trabalho existente com a formação de profissionais capacitados para contribuir no desenvolvimento técnico e socioeconômico das regiões cacaueira da Bahia e outros estados. 
Coordenado pela professora Cilene Nascimento Souza, o curso está de acordo com a exigência contínua para suprir às demandas da cadeia produtiva do cacau. Para tanto foi estruturado de forma que seus discentes, docentes e egressos possam se envolver nas propostas e problemas da cacauicultura, desenvolvendo, por meio da atuação prática, o espírito crítico-científico que sustenta as soluções alternativas e inovadoras. 
O objetivo geral é formar profissionais qualificados com capacidade de atuação em todas as áreas da cadeia produtiva da Produção de Cacau e Chocolate, assegurando qualidade, produtividade e formas de comercialização. O Tecnólogo em Produção de Cacau e Chocolate está apto para realizar Planejamento, implantação, execução, gerenciamento e avaliação dos processos de produção de cacau e derivados, desde a plantação aos produtos finais.

Carol Nakamura e Márcio Kieling se apresentam no TMI neste fim de semana

Com direção de Fernando Gomes e tendo no elenco, Carol Nakamura e Márcio Kieling, a peça escrita por Kieling estará em cartaz em Ilhéus, neste final de semana, no Teatro Municipal. O espetáculo acontece no sábado (05) de maio, às 21 horas e, domingo (06), às 20h. Os ingressos custam R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).
A comédia romântica trata de um dos temas mais atuais do momento: a relação do homem com a internet. Em especial o celular, que nos conecta a muitas coisas ao mesmo tempo e nos desconecta de várias outras. Com humor, a peça alerta a importância de não ficarmos dependentes das redes sociais.

Prefeitura de Ilhéus diz que paralisação dos Agentes de Saúde é ato político.

Desde quinta-feira(3) os Agentes Comunitários de Saúde (ACE) de Ilhéus paralisaram as atividades em protesto ao encolhimento no número de agentes em campo, e solicitam a convocação de novos profissionais. 
Atualmente, os 58 servidores que formam a equipe de combate a endemias, são considerados poucos, para um trabalho em uma cidade do porte do município de Ilhéus. Em Itabuna, o número de agentes é três vezes maior. 
Por meio de nota de esclarecimento, a Secretaria Municipal de Saúde, demonstra não reconhecer as reivindicações e lamenta a paralisação afirmando que trata-se de ato político, às vésperas da deflagração de uma campanha eleitoral nas vésperas do lançamento da campanha a deputado estadual da principal lideranças dos agentes. 

Leia a nota da prefeitura na íntegra: